quinta-feira, 10 de julho de 2014

Jazz ontem e hoje


Enquanto limpava minha coleção de frascos, fui atraído pela beleza das antigas embalagens de Jazz, de YSL. Um primor de composição, em preto e branco, lembrando as teclas de um piano.
A concepção da embalagem está totalmente relacionada à ideia do perfume, que revela-nos um espírito jovem, porém clássico e sofisticado.
A primeira versão, bem no estilo tradicional, para os que amam o ritual de se perfumar, não continha válvula. A segunda versão mantém a mesma cor e ideia, porém já sofreu mudança em parte do design, sem a tampa, e com válvula vaporizadora.
Provavelmente são duas versões que "conviveram", embora eu só tenha conhecido a segunda.
A terceira versão, comercializada atualmente, é uma perda total. O frasco mantém as cores originais na tampa, apenas, e seu desenho ainda nos remete às versões anteriores, mas sem aquele encanto.
Tudo bem que se busque modernizar o estilo, a apresentação da embalagem, mas é inegável que fica a saudade dessas belezas...

2 comentários :

  1. O primeiro perfume importado que eu ganhei, fiquei na dúvida entre dois: Jazz Prestige e Eau Sauvage. Acabei escolhendo Eau Sauvage. Se soubesse que Jazz Prestige iria em poucos anos sair de linha, eu o teria escolhido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... Mas sua opção não foi nada ruim (rsrsr)...
      O meu primeiro foi Azzaro, como de quase toda a torcida do Flamengo (kkkk)!
      Abraço, cara!

      Excluir

Participe deste blog. Vamos trocar experiências olfativas!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...