quarta-feira, 19 de junho de 2013

Gucci Guilty Black pour Homme

Muito parecido com o seu precursor, mais uma vez Gucci não inova. Um perfume com publicidade instigante, porém com tema bastante comum.
Promove-se a ideia de algo jovial e indecente e apresenta-se um perfume aromático e esportivo, apenas.
Outra vez uma fragrância que se abre fresca, com notas aromáticas de coentro e lavanda e de corpo floral verde. Eis o que se nota. A base é de cedro e patchouli, o qual quase não se faz sentir, senão por um traço amargo em meio à madeira de cedro.
O que se questiona é:
A marca Gucci é símbolo de luxo e sofisticação. Confesso que esperava algo realmente criativo e desconsertante. Nada disso. Temos um perfume aromático tônico, meio ozônico, meio aquático e de fundo amadeirado. Muito bom, mas nada que se distancie de Acqua di Gió, por exemplo, no início, e de Natura Homem, nas notas finais.
Outra coisa: as diferenças entre Gucci Guilty Black e a versão primeira (Gucci Guilty) não são suficientes para se tenha um perfume, pelo menos, diferente.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...