quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Jean Paul Gautier e seus frascos icônicos

Há de se fazer justiça: o frasco de Le Male, da marca Jean Paul Gautier, é memorável. Lançado em 1995 e focalizando o público gay, é uma embalagem nada convencional. Inspirado em sua primeira criação, Classique, em que figura um corpo feminino, Le Male inova com uma composição que nos remete aos trajes típicos de um marinheiro marselhês, usando uma camisola com riscas e com um torso magnífico,  e ao personagem do filme Querelle,  de 1982, que conta a história de um marinheiro que se envolve com homens e mulheres, no porto de Brest, na França. Criado pelo próprio estilista Gautier, o frasco desafia a tradição e dialoga intimamente com o perfume, também revolucionário, por destinar-se a homens, mas contendo notas generosas de baunilha, tornando-o doce e voluptuoso. 
A versão Summer 2012, tanto de Le Male como de Classique, não deixou a desejar. Mantendo o formato original dos frascos, traz um colorido intenso e alegre de uma selva tropical. 
Joias!





http://www.andthisisreality.com

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Boss in Motion

Quase não me encantam as fragrâncias de Hugo Boss, com exceção de Number One, que me agrada muito. 
Recentemente testei Boss in Motion e percebi que, também, tem seus encantos. Talvez pelo efeito fresco e quente, que transmite uma atmosfera cheia de energia. 
Criado em 2002, Boss in Motion é jovem, é exultante, lembrando personalidades ativas e otimistas. Suas notas de saída talvez sejam as responsáveis por isso. Uma combinação de laranja, bergamota, manjericão e folhas de violeta. 
As notas que compõem o coração insinuam o lado doce e picante da fragrância: noz-moscada, pimenta rosa, cardamomo e canela. A união destes últimos elementos com os acordes iniciais cria um efeito fougère oriental bem marcante e bem masculino. 
Ao fundo, a clássica combinação do sândalo, vetiver e musk, que, em comunhão com as notas orientais, deixa um rastro árido e levemente adocicado.
Um bom perfume!

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Lavandas... Famosas Lavandas...

A lavanda é uma planta arbustiva de flores púrpura usada para fins medicinais, na aromaterapia e na indústria de perfumes. A França é uma das maiores produtoras.
Participa de composições masculinas e femininas, principalmente das fragrâncias da família fougère, combinada com outras ervas aromáticas, cítricos e madeiras.
A lavanda está relacionada à limpeza. O nome vem do latim "lavare", que significa "lavar", e é seu apelo aromático e límpido que a faz tão utilizada no pós-banho, a fim de prolongar a sensação de frescor.
Muitas casas de fragrâncias têm sua "lavanda", ou seja, uma colônia bem leve, inspirada na lavanda e contendo tal ingrediente em doses que o evidenciam em relação aos outros componentes. A lavanda combina perfeitamente com notas florais sutis e com fundo musk, por exemplo.
Casas brasileiras como "O Boticário" e "L'ácqua di Fiori" também têm sua "lavanda": Tardi (L'ácqua di Fiori), por exemplo, é uma combinação cítrica almiscarada. Thaty (O Boticário) combina lavanda com eucalipto, gerânio e musk e a tradicional Lavanda Pop (O Boticário) contém flores muito discretas que ressaltam o frescor e feminilidade da colônia.
De todas os tipos de lavanda, porém, destaca-se a "lavanda inglesa", muito apreciada e difundida pela perfumaria internacional.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Patchouli

De odor terroso, levemente amargo, lembrando notas verdes, e profundamente amadeirado. O óleo essencial é extraído pelo processo de destilação a vapor das folhas secas da planta. É nativo das regiões tropicais da Ásia, mas já se encontra em diversas regiões quentes do mundo, como na África e na América do Sul. A planta apresenta-se arbustiva e pode chegar a 1,50 metro de altura. 
O patchouli está ligado intimamente à cultura indiana e nos anos 70 foi amplamente difundido pelos hippies. Na perfumaria, participa de inúmeras criações, masculinas e femininas. Combina perfeitamente com o vetiver, com o sândalo e outras notas amadeiradas, fixando a fragrância na pele e atribuindo-lhe calor e ternura. Também pode conferir rusticidade ao perfume. Na combinação com flores, destaca-se a parceria com as rosas, o que gera um efeito clássico e muito sofisticado. Em Clinique Aromatics Elixir, essa impressão é nítida. Nos masculinos, destaca-se Gentleman de Givenchy. O patchouli participa também da estrutura de muitas fragrâncias chypre, acompanhando notas úmidas ou lenhosas. Também está presente em muitos perfumes orientais, combinando-se com a baunilha ou envolvendo outras especiarias e arrematando os arranjos florais e/ou frutais mais densos. 
O patchouli, por si só, já realiza perfeitamente seu papel de perfumar e encantar. Chegou à Europa com Napoleão, que trouxe do Oriente um par de xales embebidos do óleo essencial.  
Um astro, realmente. E um dos aromas mais intensos e versáteis utilizados na perfumaria mundial.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

L'eau d'Issey

Uma fragrância de extremo bom gosto, para começar. Muito delicada e marcante, com notas inebriantes que parecem captar o espírito das flores brancas e das águas. As notas iniciais já nos causa uma impressão de frescor e contentamento: rosas, melão, lótus e frésia. As flores misturadas ao melão criam uma atmosfera doce e aquática, como poucos conseguiram. O coração é cravado de flores brancas, como peônia d'água, lírio e lírio-do-vale. Ao fundo, a nobreza do cedro, o requinte do sândalo, a sedução do âmbar e do musk. 
L'eau d"Issey é um perfume limpo, transparente, alegre e naturalmente feminino. Sem excessos, sem pretensões, chega, inebria, apaixona e deixa marcas sutis, com desejo de "quero mais".
A base da fragrância merece ser notada. 
Um primor! Uma delicadeza!

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Ô de Lancôme

De saída explosiva, cítrica, contendo limão, bergamota e mandarina, parece ser só mais uma das tantas "águas" que seguem o ritual do banho. Entretanto, Ô de Lancôme revela-se maravilhosamente sofisticado, apresentado uma rica interpretação do tema, acrescida de notas clássicas e parisienses em meio aos acordes frescos e aromáticos. O coração dessa fragrância é levemente amargo, combinando flores de jasmim, lírio do vale, madressilva, alecrim, manjericão e sementes de coentro. As notas baixas, que, no meu ver, garantem o estilo da fragrância, combinam musgo de carvalho, vetiver e almíscar. 
Uma preciosidade criada em 69 e atemporal, ainda encantando mulheres e homens que buscam versatilidade e sofisticação em uma fragrância.
Um perfume perfeito para o verão!

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Vamos votar...

Pô, galera! Está lenta a coisa, hein? Participem da enquete que busca eleger os dez melhores perfumes femininos do mundo... Localizem-na na parte direita da página e vamos lá!
Beijão!

Como saber se um perfume é original?

Bem... Tal tarefa pode ser bem simples, quando o nome ou  a embalagem ajudam. Geralmente os perfumes ditos falsificados são, na verdade, inspirados em fragrâncias originais e aparecem em frascos diferentes, remetendo-nos apenas à cor da embalagem ou ao formato do nome. É o caso do perfume abaixo, imitando o clássico Azzaro:



Em muitos casos, há uma embalagem padrão da marca e as fragrâncias aparecem enumeradas. Só o vendedor tem acesso aos referentes dos números, para facilitar-lhe a venda. Veja o exemplo:



Nesses casos, porém, não se pode acusar o fabricante de plagiador ou golpista, uma vez que seus produtos não são comercializados utilizando-se do nome ou do frasco referentes aos perfumes originais.

Uma outra forma de falsificação (nesse caso o termo é adequado) bem mais grave é a dita pirataria. Nesses casos, utiliza-se o nome, o cartucho e o frasco idênticos ao do produto original. E, dependendo da "qualidade"   da falsificação, pode ser bastante complicado para um leigo identificar o crime do qual está sendo vítima. Sim, porque um usuário fiel de um determinado perfume pode ser enganado se não estiver devidamente atento ou se não conhecer profundamente a sua fragrância.
Uma boa dica é observar o número de série ou lote presente no fundo da embalagem (do frasco). Este deve ser idêntico ao que se encontra no fundo do cartucho (ou caixa). Outra coisa, bem sinalizada por minha colega blogueira Vanessa: observe o plástico que envolve a caixa do perfume. Geralmente, no caso dos falsificados, o celofane é grosseiro e nem sempre totalmente adequado à caixa. Também vale a pena observar a presença de selos holográficos, códigos de barras, além de analisar o frasco atentamente: já tive um Chanel 5 falsificado nas mãos e observei que o acabamento do frasco deixou bastante a desejar. Válvulas grosseiras, que aspergem o líquido em forma de jato e não de spray, tampas que não encaixam perfeitamente nas embalagens, além da cor do perfume, uma vez que os falsificados tendem a apresentar uma coloração mais forte que os originais.
Outra dica bem legal da colega é verificar o número do lote, que geralmente vem impresso em baixo relevo no fundo da caixa. Entre com esse código no site checkfresh e procure identificar o prazo de validade do seu perfume. Se o item não for identificado, corre-se um grande risco de você ter em mãos um piratex.

Caso nada disso ajude, é hora de experimentar a fragrância. Engana-se quem pensa que só os perfumes originais deixam uma marca oleosa no local da aplicação. O ideal é conhecer, de fato, o perfume. Costumo dizer que os perfumes falsificados não têm profundidade. E isso é verdade. Uma fragrância pode até ser bem parecida com outra original, mas durante a evolução, percebe-se a ausência das notas de base ou uma profunda diferença entre elas. A grosso modo poderíamos dizer que o perfume falsificado é mais aguado e não tem "personalidade". Pode ser idêntico no início, mas tudo o que ele é não passa desse início, ou seja, não evolui, não se transforma na pele e se esvai com o mesmo aroma que chegou.
A verdade é que vale a pena gastar um pouquinho mais com um perfume de qualidade.
Bem... É isso! Espero ter ajudado!

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Dolce & Gabbana pour Homme

Esta fragrância pertence à família dos fougère aromáticos, isso significa que a composição se estrutura a partir da lavanda e notas cítricas, acompanhadas de ervas aromáticas e especiarias. Ao fundo, madeiras asseguram a virilidade e a durabilidade da obra. No caso de Dolce & Gabbana pour Homme, a combinação bergamota, tangerina e folhas de limão se mesclam à sálvia, à lavanda e ao frescor picante do cardamomo, do coentro e ao ardor da pimenta. O Coração ainda conta com a delicadeza da violeta e a intensidade do jasmim. Ao fundo, musk, cedro, âmbar e sândalo. Tudo muito discreto, apenas para embasar a explosão aromática nitidamente otimista.
O perfume está entre os preferidos dos homens e tem relevância no quesito sensualidade. É viril, moderno e muito adequado àqueles que não querem apenas um bom perfume, mas querem se comunicar por meio dele. Evoca uma personalidade urbana, movimentada e com muito estilo. 
No Brasil, Uomini, de O Boticário, assemelha-se bastante. Acredito, porém, que perde nas notas florais do coração do perfume.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Versões mais leves para o Verão

Há muitos perfumes criados para épocas mais quentes ou mesmo para quem gosta de uma fragrância mais leve, mesmo em épocas mais frias. As grandes grifes, preocupando-se com isso, costumam lançar versões fresh de seus clássicos. Nem sempre uma releitura da mesma fragrância. Às vezes a variação do tema gera uma nova ideia, porém sempre algo que mantém o espírito da marca e a alta qualidade de seus produtos. O Clássico Azzaro, por exemplo, lançou há pouco L'Eau de Azzaro, considerando a fragrância original, porém com notas mais cítricas e aromáticas. O marcante Kouros também tem seu flanker (criação com base em variação do tema original de uma fragrância): Kouros Fraicheur - para aqueles que curtem Kouros, mas acham-no invasivo ou forte demais. 
Algumas marcas usam o termo Eau ou Acqua/Aqua para representar um tema mais leve e mais aromático. Bons exemplos: Bvlgari Aqva, Acqua di Gió, Aqua Fahrenheit...
Outro ponto importante: mesmo que o flanker de um clássico lembre muito a fragrância original, não é apenas uma criação que adicione mais álcool ao perfume, para torná-lo leve. É, de fato, uma recriação em que se utilizam matérias-primas de efeito mais tônico, mais cítrico ou mais aromático. 
As embalagens sofrem também alguma modificação para sinalizar a diferença entre os produtos e o frescor sugerido pela versão. Na foto, duas miniaturas de Kouros: o clássico e seu flanker.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

The One + Kouros

Tem gente que não tem mais o que inventar... Eu e um amigo, fiel seguidor do blog, temos uma mania um pouco incomum: misturar perfumes. A opinião popular é de que essa arte não dá bons resultados. Geralmente o cheiro fica carregado e até desagradável. Verdade. Mas quando se tem um pouco de conhecimento sobre as estruturas de uma fragrância, dá até pra ousar. 
Resolvi misturar The One by Dolce e Gabbana (a versão feminina) com Kouros by YSL. Deu muito certo. Acreditem. Ambos têm características orientais e ambaradas. Entretanto The One dá um tom mais frutado ao cheiro impactante e viril de Kouros. Lembra imediatamente outro perfume memorável: Rive Gauche pour Home by YSL. Um cheiro refinado e muito envolvente.
Experimentem! 
... E dividam conosco suas proezas!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Eternity

Eternity é um dos perfumes mais vendidos do mundo. Teve seu auge na década de 90, quando a onda dos buquês florais invadiu o mercado das fragrâncias. Ao lado de Paris, de YSL, faz o estilo delicado e romântico, evocando o sonho, a paz e a beleza. Une o tradicional ao moderno, suavizando momentos corriqueiros. Um cheiro rosado e muito cativante, de flores harmoniosamente arranjadas. As notas florais sobressaem durante toda a evolução do perfume, exalando um ar doce, ligeiramente cítrico e terno: lírio, violeta, jasmim, narciso, cravo e margaridas compõem o núcleo floral responsável pela beleza da obra. As violetas, em especial. Ao fundo, notas aquecidas de âmbar, sândalo, musk e heliotrópios (com seu cheiro doce e amendoado) asseguram a longevidade e a delicada sensualidade de Eternity.
É um cheiro perfeito para as noivas, em seu dia de sonho e eternidade.
O perfume foi criado em 1988 como um tributo ao casamento de Calvin Klein.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...