domingo, 28 de agosto de 2011

Mel


Essa delícia também inspira os artistas da perfumaria. Por meio de um processo químico, consegue-se, em laboratório, recriar esse aroma doce e apurado, como se  a alma das flores fosse sintetizada e envelhecida, sem pressa, como um bom vinho. Um líquido único e tão puro... E tão sagrado que resistiu ao tempo nas tumbas dos faraós, em potes conservados em perfeito estado, conforme verificamos em notícias recentes. Ao se criar um perfume contendo o aroma do mel, pensa-se no equilíbrio entre as diferentes notas de uma fragrância, como um bálsamo combinado às madeiras, além de atribuir densidade e profundidade às notas florais, combinado à flor-de-laranjeira, por exemplo. Está presente em combinações com o incenso e com o âmbar. Também funciona em composições gourmands, combinado à baunilha e ao chocolate (Angel); nos orientais, como em Poison e Red Door e nos perfumes da família chypre, como em Ysatis, de Givenchy. Os masculinos mais adocicados, ambarados ou incensados, como Lapidus, Kouros, Gentleman, Boss Number One e Paco Rabanne também contam com esse maravilhoso ingrediente. Uma grande sacada!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Participe deste blog. Vamos trocar experiências olfativas!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...