segunda-feira, 28 de março de 2011

Música no Blog

E aí, galera? Estou pedindo sugestões: que música vocês acham que combina com o blog ODORATA? Façam um comentário aqui mesmo. Valeu!

domingo, 27 de março de 2011

Cabochard

Não poderia deixar de citar essa grande obra. O que ocorre com Cabochard é algo clássico e instigante ao mesmo tempo. Temos um perfume com notas sintéticas de aldeídos que revelam sua faceta madame, misturadas ao teor chipre que se percebe logo em seguida, revelando acentos cítricos, amadeirados e úmidos. Tudo isso para envolver as rainhas "odorosas": rosa, ylang-ylang e jasmim. Ou seja: muito feminino, porém rascante, picante e denso devido à presença do cravo, do patchouli, de resinas e de tabaco. Isso não o torna seco o bastante, já que ao fundo surgem notas mais empoadas, adocicadas e quentes, obtidas graças às notas de origem animal, ao âmbar e ao efeito couro. Um perfume chique que revisita o clássico, porém com uma dose generosa de ousadia. Um perfume em que o bailar das flores é afetado por ligeira picância verde e amadeirada, dando todo o charme comum a um autêntico chipre.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Grandes Perfumes, Grandes Embalagens!

Já ouvimos dizer que comemos também pelos olhos. Um prato bem elaborado, com um visual atraente desperta, sim, o nosso apetite ou, pelo menos, a nossa curiosidade. Acontece também com os livros e suas capas e até conosco, nas relações afetivas. O primeiro sentido é o olhar, que entra em estado de total atenção e mapeia o "objeto" para nos trazer informações rudimentares,talvez, mas decisivas quando o assunto é dar o primeiro passo (ou o primeiro beijo). Pois bem. No mundo dos perfumes não é diferente. A embalagem acolhe o líquido precioso e o mantém em segredo até que você possa desfrutar dele. Mais que uma bela embalagem, entretanto, o frasco de um perfume pode dizer muito sobre a fragrância que contém: a inspiração, a ideia que ele evoca, sua história e até os conceitos da marca que carrega. São frascos criados sob encomenda por grandes designers, para as grifes que desejam seu produto bem vestido e, o mais importante, integralmente fiéis aos conceitos que o idealizaram. O frasco é parte do perfume. Faz parte da obra de arte e deve ser valorizado por isso. O assunto é tão interessante que foi criado um espaço em São Paulo (Espaço do Perfume, Arte + História), uma iniciativa do grupo O Boticário em parceria com a faculdade Santa Marcelina. Lá você tem a oportunidade de compreender o papel do perfume na sociedade através dos tempos e a arte que envolve a criação de fragrâncias, incluindo a concepção e fabricação dos frascos.
Entre os perfumes que comentamos aqui no blog, podemos destacar alguns exemplos de embalagens consideradas coerentes com o produto e marcantes na história da perfumaria: Chanel nº 5, que reproduz em seu frasco de linhas sóbrias os conceitos que deveriam pautar a mulher da época. Organza, que reproduz em sua embalagem a feminilidade e a nobreza da alta-costura.
Calandre: seu frasco é inspirado nas linhas aquitetônicas e revolucionárias da cidade de Nova Iorque. Hypnotic, que traz um frasco vermelho em forma de um fruto (proibido, claro), estimulando os sentidos e alertando sobre o perigo da tentação. Bem... Não consegueria descrever muita coisa aqui de uma só vez, mas o recado está dado: cuide para que a obra-prima que a perfuma seja compreendida em sua integridade.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Connexion

Um perfume viril e muito requintado. Connexion é uma pérola. Seu efeito é contrastante: mistura notas cítricas ao calor do fundo amadeirado. Combina tangerina, bergamota, gerânio, patchouly e musgo de carvalho. O fundo, além de amadeirado, tem toques de âmbar, o que lhe confere um odor terroso, seco e caliente. Nada convencional. O patchouly é posto, claramente, em evidência, o que dá ao perfume um odor rústico e, em combinação com os citrinos, revela algo amargo e, posteriormente,  aconchegante. Indico para as pessoas que acham os perfumes masculinos "todos iguais". Na verdade, Connexion é originalíssimo e não tem precedentes que mereçam ser citados. Tem impacto, mas é tênue. Viril, mas aveludado. Uma das obras nacionais para a qual faço reverência. Para homens que exalam masculinidade sustentada pelo bom gosto.

Connexion

Um perfume viril e muito requintado. Connexion é uma pérola. Seu efeito é contrastante: mistura notas cítricas ao calor do fundo amadeirado. Combina tangerina, bergamota, gerânio, patchouly e musgo de carvalho. O fundo, além de amadeirado, tem toques de âmbar, o que lhe confere um odor terroso, seco e caliente. Nada convencional. O patchouly é posto, claramente, em evidência, o que dá ao perfume um odor rústico e, em combinação com os citrinos, revela algo amargo e, posteriormente,  aconchegante. Indico para as pessoas que acham os perfumes masculinos "todos iguais". Na verdade, Connexion é originalíssimo e não tem precedentes que mereçam ser citados. Tem impacto, mas é tênue. Viril, mas aveludado. Uma das obras nacionais para a qual faço reverência. Para homens que exalam masculinidade sustentada pelo bom gosto.

Vert de O Boticário

Estou muito saudoso ultimamente! Já fiz várias postagens sobre as fragrâncias descontinuadas e parece-me que estou "pegando no pé" de O Boticário. Na verdade refiro-me mais a essa marca por ter tido mais acesso quando mais jovem e ter usado muitos de seus perfumes que hoje não existem mais. Quem sabe eles não se sensibilizam, né? Pois bem: Vert: uma colônia verde, levinha, fresca, para ser usada em abundância. No pós-banho era imbatível. Conquistou muitos com seu cheirinho despretencioso. A saída era levemente cítrica e verde, contendo sálvia, bergamota, gerânio, camomila e lavanda. As flores em um arranjo muito sutil faziam o corpo do perfume, acompanhadas de cassis e ao fundo almíscar, vetiver e musgo de carvalho. A fragrância era quase um chipre, conseguindo um efeito, apesar de discreto, sofisticado. Considerada esportiva, era, na verdade, bem mais que isso: trazia conforto e bem-estar e prolongava a sensação de leveza do pós-banho.
O produto até que tentou resistir. Mudaram a embalagem, lançando-o em nova linha. Depois mudaram o nome e relançaram-no em outra linha de produtos: Acqua di Colônia. Hoje ocorre na linha Nativa Spa, com o nome "Limão + Patchouli". Muitos dizem que não é mais o mesmo perfume. Se não for, está bastante perecido, mas já não é a mesma coisa também por outras razões. É a memória. A embalagem... Gostava de VERT de O Boticário na "garrafinha" verdinha... Aliás, por falar nisso, as "garrafinhas" estão desaparecendo... A última foi de Crazy - ceifada. Restam Cecita, Free, Thaty e Innamorata.

terça-feira, 22 de março de 2011

Coentro


O coentro é muito utilizado na culinária brasileira nordestina e também na região norte. Em Portugal é muito utilizado, por exemplo na cozinha alentejana e noutras regiões do sul do País. No norte é praticamente ignorado.
Originário do sul da Europa e do Oriente Médio, o coentro já era conhecido e utilizado pelos egípcios, não como tempero, mas como planta medicinal (a ele se atribuíam propriedades digestivas, calmantes e, quando usado externamente, para alívio de dores das articulações e reumatismos), além de possuir efeito anafrodisíaco."
Na perfumaria participa de composições marcantes e de impacto, principalmente, e, ao lado do alecrim, do manjericão e da sálvia, compõe acordes bastante aromáticos e dá toques orientais a muitas fragrâncias. Conhecido como coriander, produz sementes e folhas muito perfumadas, com um odor intenso e nada convencional. Algo aromático, picante e levemente amargo mistura-se ao efeito estimulante. Os poderosos Opium F. by Yves Saint Laurent, Dolce & Gabbana F, Escape F. by CK e Polo by Ralph Lauren são exemplos de criações contendo esse aroma.

domingo, 20 de março de 2011

PALOMA PICASSO

Esse grandioso perfume está entre os meus preferidos. Uma composição que nos traz os ares clássicos de um bom perfume francês. Criada pela filha do famoso pintor Pablo Picasso e ex- estilista de Yves Saint Laurent, essa fragrância também é uma obra de arte. Inspirado nos aldeídos de Chanel nº 5, o perfume preferido de Paloma, e arquitetado com o que  de melhor herdou do pai, é um perfume único. Pertence à família dos chipre-florais o que já garante seu enorme requinte. Contém notas especiadas como as de coentro e cravo e também secreção animal (civet castoreum e musk) que se mesclam aos odores florais de rosas, jasmim, jacinto e ylang-ylang e criam um corpo quente e muito sensual. A base contém patchouli, sândalo, tabaco e musgo de carvalho. Paloma Picasso é um perfume complexo o que gerou certo receio sobre a comercialização na época de seu lançamento, mas acabou se tornando um dos mais bem cotados em todo o mundo.
Combina com madames, exalando estilo e personalidade. Uma obra-prima!

segunda-feira, 14 de março de 2011

Cada pele, um perfume

É comum que gostemos de um perfume na pele de alguém e decididamente queremos tê-lo também. Ao usarmos o mesmo perfume que tanto nos encantou, sentimos certa frustração por não conseguirmos o mesmo efeito.
Bem, isso é muito comum e normal por duas razões:

Primeiramente, temos que entender que depois de certo tempo usando um perfume, cria-se a acomodação olfativa e passamos a não senti-lo como os que estão à nossa volta. Sugiro, nesse caso, aspergir um pouco do precioso perfume também na roupa, a uns 30 cm de distância (para evitar manchas).

Outra coisa: cada pele reage de maneira diferente a um perfume. A cor da cútis, a oleosidade, o metabolismo e até a alimentação interferem na evolução da fragrância. Nesse caso, sugiro que, antes de decidir comprar, experimente o perfume por algumas horas, deixe-o agir (até porque há três momentos na evolução de um aroma a partir do momento em que é aplicado). É importante que entendamos que talvez tenhamos gostado de um determinado "cheiro" em alguém ainda na sua fase inicial, quando as notas de saída ainda se faziam presentes. O importante é que gostemos, principalmente, das notas de coração, pois essas duram mais e dãoa personalidade do perfume e só podem ser sentidas aproximadamente 15 minutos após a aplicação.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Foi-se o Carnaval

Pois é: sensação estranha esta, não? Lembro-me de uma canção de Caetano que diz: "Meu amor, ando na praça vazia, espero o sol se pôr. Vejo o clarão extinguir por traz da mão do poeta. Nosso amor não vai sumir. Veja onde a gente se achou. Estrelas já vão luzir na noite da Bahia preta. Queria tanto você aqui..."

E para muitos, vão ficar apenas as lembranças e o perfume...

segunda-feira, 7 de março de 2011

Jean Paul Gautier: o feminino, o andrógino e o luxo!

video

Maconha e Perfume: Como Assim?

A maconha pertence ao gênero Cannabis e se apresenta em três principais variações: Cannabis sativa, Cannabis indica e Cannabis rudelaris. Tem sido usada como narcótico durante séculos e também por médicos e espiritualistas. Até aí, já sabemos. Mas usar essa planta como um dos únicos componentes de uma fragrância? Caraca!!! Será que isso dá certo? Provavelmente, o perfume não contém ingredientes psicoativos. Deve, somente, fazer referência ao odor da planta, o que já é algo polêmico e, para alguns, instigante. Eis o dito cujo:

Black Afgano Nasomatto
Criado com o propósito de evocar o que há de "melhor" no haxixe (matéria resultante de um processo envolvendo a maconha que a torna seca, resinosa e compacta, para ser fumada ou ingerida), esse perfume, conforme descrição, auxilia na busca pela felicidade temporária. "Nasomatto é uma marca muito particular de italianos criativos e estranhos - perfumes fortes, com idéias loucas, um monte de referências a proibidos "prazeres" e nenhuma descrição olfativa do perfume que é sempre muito forte, opulento e quase bruta". Encontramos apenas a Cannabis sativa como descrição de sua composição. Não pude acrescentar mais nada, já que não o conheço, mas farei o possível para ter contato e descrevê-lo melhor. Sóóóó...... (rsrsrsr)!

Free

A colônia Free, de O Boticário, é um dos clássicos da marca. Todos os ingredientes presentes nas notas de cabeça e de corpo são profundamente refrescantes. Um misto de cítricos e ervas aromáticas, como limão, laranja, bergamota, lavanda, gerânio, jasmim, sálvia e pinho. Como sabemos, as nuances cítricas de uma fragrância são muito voláteis, isto é, evaporam bem rápido. Entretanto, no caso de Free, a mistura com madeiras de pinho e as notas de base: cedro, musgo, vetiver e almíscar, garantem a fixação dos primeiros e proporcionam uma sensação que vai do frescor ao aconchego, de forma bem gradativa e natural. Uma excelente combinação. Free tem a cara de O Boticário. Um dos poucos que ainda restam da melhor fase da empresa. Indico para aqueles que apreciam a tradição de se perfumar. Apesar de ser considerado feminino, pode ser usado pelos homens, sem dúvida, por se tratar de um tônico refrescante. Ideal para o verão, depois do banho, para caminhar à tarde, com roupas leves e mente fresca.

sábado, 5 de março de 2011

Annette de O Boticário

Ontem estive numa das lojas de O Boticário para comprar duas colônias: Free e Annete. Recentemente consolei um visitante dizendo que ele ainda poderia encontrar esta última nas lojas da marca. Espero que ele tenha sido rápido: a produção foi interrompida. Mais um entre tantos. Realmente não me conformo. Recebi um e-mail de uma funcionária da empresa encarregada de responder a esse tipo de questionamento. Disse-me que a decisão de retirar de linha algum produto é tomada depois de anos de pesquisa. Seguramente, pensam em custo/benefício. Claro que isso é natural em uma empresa. Mas no caso de uma perfumaria, essa atitude deve ser ainda mais moderada. Não é só um produto. É a marca de alguém. É a forma que alguns encontram de reviver momentos importantes, de recordar pessoas, enfim. Até entendemos que um ou outro perfume tenha de ser descontinuado, mas a quantidade de fragrâncias que O Boticário tem retirado do mercado é inaceitável. Algum "nariz" muito "moderninho", pouco criativo e "inspirado" em obras internacionais tem feito um verdadeiro estrago com relação ao que de O Boticário tem de mais original: sua originalidade.
Ah... E tem mais: isso é uma opinião!

quinta-feira, 3 de março de 2011

Perfumes e joias...

Logicamente uma combinação perfeita. Mas você já pensou no perfume ideal para compor o visual opulento e ostendador que as joias podem conferir? Não me refiro, aqui, a singelos brinquinhos que reluzem timidamente na orelha das mais discretas. Falo de peças originais e reluzentes que expressam o luxo e o bom gosto das verdadeiras damas (claro que tudo é uma questão de gosto). Pois bem: ao usar uma bela joia, deve-se pensar em um perfume com história, relacionado a grandes estilistas que, muitas vezes, criaram ou encomendaram certa fragrância inspirados nesse visual, nessa composição tão luxuosa (mulher e joias). Há grifes como Boucheron e Van Cleef & Arpels que têm seu nome relacionado intimamente à fabricação de peças valiosas e muito desejadas no mundo todo. Essas mesmas marcas são reconhecidas no mundo da perfumaria. Fragrâncias criadas com base na ideia de mulher que a empresa projeta e divulga. A grife Boucheron, por exemplo, tem até alguns frascos inspirados em seus luxuosos anéis. Creio que para essas mulheres, as fragrâncias têm de ser sóbrias, funcionando como um suporte para tanto luxo. Sóbrias, mas muito femininas. Os florais aldeídos e os clássicos orientais são excelentes para essas situações: First, por exemplo, de Van Cleef e Arpels é uma indicação interessante: perfume de classe, sóbrio e ternamente feminino. Temos também Jaipur Saphir Boucheron, um oriental baunilha que nos remete ao luxo do oriente. Para aquelas que desejam ousar um pouco mais, Trouble by Boucheron: uma fragrância glamourosa e instigante. Bem... É isso!

quarta-feira, 2 de março de 2011

212 VIP

Seguramente uma fragrância bastante feminina e agradável. Terceiro perfume feminino da linha 212, trata-se de uma composição chipre frutal com toques orientais e tendências gourmands: difícil de definir. O que se nota claramente em 212 vip é a explosão frutal e radiante do maracujá e a suntuosidade da gardênia envolvidas pelo dulçor aveludado da fava tonka e da baunilha, além do calor do musk. Nesse arranjo, o rum confere à fragrância uma leve desorientação, sutilmente picante e distinta. Ao fundo, depois de algum tempo, cria-se um efeito cremoso e deliciosamente "comestível". A fragrância foi criada por Alberto Morillas a pedido da marca Carolina Herrera e lançada em setembro de 2010. Teve como inspiração, assim como os demais perfumes da linha, a instigante New York: a cidade que nunca dorme (212 é o prefixo telefônico de Manhatan). Urbano, moderno, glamouroso e seletivo: "Are you on the list?"

terça-feira, 1 de março de 2011

Tsar

Uma fragrância verde e natural. Com uma base de madeiras e âmbar, tem alto poder de fixação e grande potencial aromático, devido às ervas fundidas aos cítricos presentes nas notas de saída: coentro e artemísia com bergamota, flores de laranjeira e lavanda. O corpo é floral: cravo, rosa e lírio do vale. Um perfume excelente e muito marcante. Tem ares esportivos, mas não como a maioria das fragrâncias relacionadas: Tsar não é só um aroma fresco e amadeirado. Suas notas verdes entram em perfeita sintonia com os aromas mais cálidos das madeiras, do âmbar e das especiarias. É verde e denso. É como um aroma nascido nos musgos das florestas escurecidas e úmidas. Pode ser usado em ocasiões mais formais. Tanto faz o tênis ou o sapato. Tsar é a joia do homem: um perfume despretensioso, mas, ao mesmo tempo, requintado. Assim como deve ser o homem. Suas notas olfativas nos remetem imediatamente ao nacional North Wind de O Boticário, que também evoca a natureza arrojada nas nuances verdes mais densas. Classifico Tsar como a virilidade clássica de um homem aprisionada num frasco.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...