sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Âmbar Gris ou Vômito de Baleia

É uma substância produzida no intestino da baleia cachalote, mais especificamente na vesícula biliar (foto). É encontrado a boiar no mar e já foi muito utilizado como fixador de perfumes. Tem cheiro fecal, mas quando exposto por um tempo ao ar e à luz, ganha um odor adocicado e terroso. Hoje as indústrias substituíram o âmbar gris por elementos sintéticos e outros naturais, devido à grande dificuldade de obtê-lo e também por sua exploração correr o risco de violar a Convenção CITES que protege animais ameaçados (Essa eu não entendi, já que a matéria prima é expelida naturalmente pelo animal).
O âmbar gris ainda é usado em alguns países para ingestão como afrodisíaco. Como especiaria é raramente utilizado no sueste asiático para aromatizar vinhos e outras bebidas alcoólicas e, em quantidades minúsculas, aromatizar chás.
Na perfumaria o âmbar é dissolvido num álcool, em geral etanol, sendo a dissolução feita a frio para evitar a dissociação do produto. Quando adicionado a essências perfumadas prolonga a sua fragrância e complexifica os aromas, dando-lhe persistência e bouquet. (fonte: WP)
Existem também algumas resinas de árvores, endurecidas, de cor amarelada, que recebem esse nome.
Há, no entendo, de se entender uma coisa: chama-se âmbar, em perfumaria, uma infinidade de notas doces e resinosas, como ládano (foto), fava-tonca, benjoim, entre outras. Mais do que uma essência, "âmbar" é uma nota que compõe um perfume, pois a esses ingredientes citados, podem-se juntar amêndoas, baunilha e tabaco, por exemplo. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...