quarta-feira, 14 de julho de 2010

Baunilha

A baunilha é derivada de uma espécie de orquídea. Quando a flor se esvai, depois de fecundada, surgem as favas, que depois de colhidas, são postas para secar. Então ocorre a fermentação que dá origem à essência tão apreciada pela culinária e pela perfumaria. No Brasil temos alguns tipos de baunilha que não são usadas para fins comerciais. Em Iracema, obra de José de Alencar, há uma passagem "fragrante":
"...O favo da jati não era tão doce como o seu sorriso; nem a baunilha recendia no bosque como seu hálito perfumado." Alencar não se refere à baunilha como algo alimentício, mas sim como um odor agradável e de raríssima comparação.
Na perfumaria, a essência de baunilha participa da composição de perfumes orientais. Sustenta as notas florais e frutais, aparecendo ao fundo em combinações com sândalo, pachouli e outras notas amadeiradas. Também aparece junto à especiarias como cravo e canela. São geralmente perfumes femininos, entretanto, ultimamente tem aparecido em combinações masculinas da família gourmand. Também é encontrada em composições fougère-orientais. Os famosos Angel by Thierry Mugler, Hypnotic by Dior, Dolce Vita by Dior e o masculino Le Male by Jean Paul Gautier contêm a baunilha em sua composição.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...